"Nosso corpo é nosso templo, nossa vida deve ser nossa religião e cuidar dela nosso ato de fé".

sábado, 31 de janeiro de 2015

5 princípios básicos para acelerar e aprimorar a definição muscular



Independente do seu objetivo ser competir, ficar bem para o verão ou simplesmente deslumbrar os frutos do seu esforço, em algum momento você vai querer remover o excedente de gordura e mostrar a sua qualidade muscular. Para tal objetivo, existem certas dicas que se mostram mais eficientes e concretas que as demais, a seguir veja os cinco princípios básicos para acelerar e aprimorar a definição muscular.
cara-definido
1 – Calorias são o fator determinante
Existem inúmeros truques que você pode usar na queima de gordura, contudo o que realmente decidirá se você perderá gordura ou não é a quantidade de calorias ingeridas. Para forçar o corpo a usar a gordura como fonte de energia é necessário gerar um déficit calórico/energético, ou seja, comer menos calorias do que você gasta durante o dia. Se este fator não estiver em ordem, todo o resto sucumbe.

2 – Proteínas são ainda mais importantes na fase de definição
Quando cortamos calorias para gerar definição, o corpo acaba queimando pequenas quantidades de aminoácidos das proteínas ou do próprio músculo para gerar energia. Isto é normal, contudo podemos evitar esta perda prestando atenção ao consumo de proteína que deve ser ainda mais regrado nesta fase.

3 – Dietas agressivas não são o caminho
Muitas pessoas, quando percebem que a queima de gordura só ocorre quando privamos o corpo de energia, fazem a loucura de cortar drasticamente a quantidade de calorias para acelerar a perda de peso. A lógica faz sentido, contudo esta prática além de desperdiçar massa muscular, pode bagunçar o seu metabolismo forçando-o a entrar em “modo de emergência” facilitando o acúmulo de gordura e gerando o efeito contrário a longo prazo.

É possível gerar queima de gordura com pequenos cortes de calorias, variando de 200 a 500 por dia. Lembre-se, quanto mais “lento” for o processo de definição, mais massa muscular será preservada e melhor será o resultado final.
4 – As vezes é necessário quebrar a dieta
Com o passar do tempo, todas as dietas acabam afetando o metabolismo, desacelerando-o. Quando você perceber que a perda de gordura tornou-se mais difícil ou não está vendo mais resultados, está na hora de dar uma fugida da dieta. Escolha um dia para sair da rotina e coma tudo o que você quiser (utilizando o bom senso nas quantidades). Isto além de ser saudável para o cérebro, não destruirá seus ganhos e ainda “recarregará” os hormônios da tireoide que são afetados por dietas contínuas de perda de peso.

5 – Termogênicos são uma ótima ferramenta
As substâncias encontradas nos termogênicos estimulam o sistema nervoso central, aumentando a produção de noroepinefrina, que facilita a liberação de células de gordura para serem queimadas. De quebra, os termogênicos evitam que o metabolismo desacelere devido a privação de calorias e ainda geram uma boa disposição para enfrentar os treinos.

"A gordura queima na fogueira dos carboidratos”!



A gordura queima na fogueira dos carboidratos”! Quem nunca leu esta expressão em alguns livros ou ouviu de alguns professores, mestres e doutores referindo-se a ineficiência de realizar aerobiose em jejum? De uma forma geral, eles afirmam que a oxidação de lipídios só ocorre na presença de glicose. Após um período de jejum de aproximadamente 7-9 horas, segundo eles, não adianta realizar uma atividade aeróbica moderada para potencializar a lipólise, pois a reserva de glicogênio apresenta-se insuficiente para tal processo.
Em nossa experiência prescrevendo exatamente a atividade aeróbia em jejum durante quase duas década observamos justamente o contrário. Vale ressaltar que não é apenas a prática que corrobora a maior oxidação de gorduras quando o aeróbico é realizado em jejum. O pesquisador sueco Torbjorn Akerfeldt aponta ser possível solicitar três vezes mais gordura se exercitando pela manhã, em jejum, comparado à mesma atividade promovida no período da tarde após as refeições. Akerfeldt ainda recomenda pelo menos seis horas em jejum antes da atividade. Nessa situação, acredita Akerfeldt, que o organismo não tenha muito glicogênio estocado para ser solicitado como fonte de energia, ou seja, teria que ir direto aos depósitos de gordura para fornecimento de energia para que se possa completar a atividade.
Desde a publicação de seus estudos na renomada, mas extinta Revista norte americana Muscle Midia, no início da década de 1990, utilizamos sua proposta baseando-nos na tentativa com diversos atletas do bodybuilding internacional com sucesso. Nessa época estávamos no interior do maior templo do bodybuilding radical, nada menos do que a Temple Gym em Birmingham no Reino Unido. Muito embora não sedimentado em estudos conclusivos nessa época, nos foi muito eficiente a estratégia. Devem imaginar a estranhes que nos causou presunções opostas a efetividade de tal prática! Porém alguns estudos animadores vêm sedimentando nossas experiências.
No estado alimentado, a fonte predominante de energia é a reserva de glicogênio hepático e muscular, e a maior participação dos lipídios ocorre somente após 20-25 minutos de atividade. As proteínas, por meio da via proteolítica, são responsáveis por apenas 5-15% do fornecimento de energia neste processo. Já no estado de jejum, devido à baixa reserva de glicogênio e conseqüente reduzida participação da via glicolítica, a fonte predominante de energia são as gorduras, por meio da beta-oxidação, ou seja, os triglicerídeos são quebrados em glicerol e ácidos graxos e este último é convertido em Acetil CoA para posterior entrada no ciclo de Krebs e oxidação (CHAMPE, HARVEY, FERRIER, 1996). A literatura científica comprova que durante o aeróbio em jejum a presença de glicerol e ácidos graxos livres no sangue é significativamente maior do que no estado alimentado, reflexo da maior participação de gorduras (BOCK, RICHTER, RUSSEL et al, 2005; PACY, BARTON, WEBSTER, GARROW, 1985).
No jejum, a participação das proteínas se mantém entre 5-15% no processo de geração de energia, ou seja, o catabolismo muscular não é intenso desde que você não exagere no tempo e utilize alguns suplementos anti-catabólicos a fim de reduzir a proteólise.
Torbjorn relatou em seus experimentos que a proteína degradada diminuiu ao invés de aumentar durante a aerobiose em jejum. Em outras palavras, não se experimenta catabolismo muscular, mesmo em jejum. Em decorrência da grande utilização de ácidos graxos como fonte de energia no aeróbio em jejum. Segundo Champe e colaboradores (1996), ocorre um aumento significativo na produção de corpos cetônicos, responsáveis pela acidose sanguínea e conseqüente queda no rendimento, além de toxicidade quando presente em grandes quantidades.
O objetivo do aeróbico em jejum não é melhora de rendimento e sim maior queima de gorduras.
É importante salientar que sempre aconselhamos, mesmo para atletas confirmados, a introduzirem a aerobiose em jejum progressivamente, pois nem todas as pessoas se adaptam facilmente a atividades com essa natureza. Em estado de repouso, o organismo pode se adaptar ao jejum com certa facilidade, mas durante exercícios, a situação pode não ser tão simples. Muitas pessoas não conseguem se adaptar de forma eficiente à aerobiose em jejum e podem até desmaiar, reação de defesa do organismo que pode provocar danos neurais (AUER, 1983; DE COURTEN-MEYERS et al., 2000). Portanto, muito cuidado ao introduzir esse tipo de proposta. Normalmente, recomendamos para indivíduos aparentemente saudáveis, iniciar com um tempo de execução em torno de oito a 10 minutos, adicionando mais dois minutos a cada duas sessões até chegar a um período de 20 a 40 minutos de atividade.
Mas afinal, qual a relação da expressão “A gordura queima na fogueira dos carboidratos?”
No interior do ciclo de Krebs, existe um intermediário denominado oxalacetato, que é um dos responsáveis pelo funcionamento adequado do ciclo e oxidação do metabólito. A glicose é o principal precursor deste intermediário, ou seja, quando as reservas de glicogênio estão reduzidas a sua produção fica comprometida e o ciclo não “gira” com perfeição, não oxidando as gorduras de uma forma eficaz segundo alguns doutores. Informamos aos desinformados que a glicose não é o único precursor do oxalacetato, a via proteolítica também tem participação em menor grau (CURI, LAGRANHA, 2003). Além disso, nosso organismo é inteligente o suficiente para deixar reservada uma quantidade suficiente de glicose nas reservas corporais para atividade importantes, ou seja, a glicose ainda participará da produção deste intermediário, em menor grau é claro. Esta menor produção de oxalacetato causará uma queda de rendimento do indivíduo, mas ressaltamos novamente: o objetivo não é rendimento, e sim a oxidação de gorduras.
Algumas dicas importantes nesta atividade referem-se à utilização de algum termogênico antes do aeróbico a fim de potencializar a lipólise, a ingestão de 500 ml de água para prevenir desidratação, pois a água drena fluidos para dentro da célula e evita a quebra protéica; e a administração de aminoácidos de cadeia ramificada anteriormente com o objetivo de diminuir o catabolismo protéico e a espera de 20-30 minutos para realizar a primeira refeição do dia após esta atividade, pois o organismo continua a utilizar ácidos graxos após o exercício durante este tempo.
Destaca-se ainda que outro horário satisfatório para a inclusão de trabalho aeróbio efetivo para queima de gordura seria imediatamente após a sessão de treino com pesos. Após um treino com sobrecargas, que irá variar de acordo com os grupos musculares treinados, entre 30 e 40 minutos, costuma-se aproveitar o tempo que falta para completar uma hora ou uma hora e pouco, em um cicloergômetro qualquer. Nessa atividade extra já haveria uma solicitação lipídica maior, porque glicogênio já fora requerido em quantidade expressiva na atividade com pesos. Salientamos que essa estratégia não é utilizada no período off season, a não ser que a pessoa esteja concentrando mais gordura corporal do que o esperado nessa fase da preparação.
Diante disto, é evidente que a aerobiose em jejum é mais eficaz com o objetivo de maior oxidação de gorduras, contudo, o indivíduo sempre deve estar atento para não exagerar no tempo, da intensidade e no uso prolongado desta técnica, afinal todo exagero na vida é desaconselhado.

8 exercícios simples que podem melhorar a qualidade da sua ereção



Você malha bíceps, peitoral, costas... Tudo para impressionar as mulheres. Mas o que seu personal trainer nunca contou é que existem exercícios capazes de trabalhar os músculos envolvidos na ereção para ter mais prazer na hora H. Um recente estudo da Universidade Sapienza, de Roma, descobriu que essa "musculação pélvica" pode ajudar no tratamento da ejaculação precoce, fazendo o tempo médio até o clímax saltar de 31 segundos para mais de 2 minutos após 12 semanas. Esqueça os e-mails com promessas milagrosas. Conversamos com o urologista Eduardo Bertero, a especialista em sexo tântrico Isabelle Moura e a fisioterapeuta Amanda Hiunes, que indicam exercícios para turbinar seu prazer.


Domínio
De 2 a 3 vezes por semana, dedique um tempo à masturbação. Quando chegar ao ponto máximo da excitação, próximo ao orgasmo, aperte a glande. Repita o exercício com a ajuda de sua parceira e, na etapa final, parta para a penetração (sem realizar movimentos de vaivém). Segure o máximo que conseguir... Depois, relaxe e goze!



Controle
Primeiro tome consciência do músculo pélvico. Enquanto urina, segure o jato durante 10 segundos e solte. Faça isso 3 vezes. Fora do banheiro,  repita esse movimento 30 vezes. Repita também por 3 vezes, alternando uma série lenta com uma acelerada.



Concentração
A respiração é essencial para o homem que quer prolongar a relação sexual. Quando sentir que a excitação está ficando muito intensa, deixe o ar entrar bem devagar pela boca, enchendo peito e abdome, e solte também pela boca, ajudando todo o corpo a relaxar. Faça isso primeiro durante a masturbação e depois, junto com a parceira.



Sensibilidade
Alguns homens têm muita sensibilidade no pênis, o que pode favorecer a ejaculação precoce. Use uma toalha macia e molhada para massagear o orgão e a glande por alguns minutos durante o banho. Isso ajuda a controlar o estímulo.



Mobilidade
O potencial orgástico está relacionado à mobilidade do quadril. Turbine o prazer com o fortalecimento da região. Deite com os joelhos flexionados e os pés apoiados no chão. Coloque as mãos embaixo das costas, na região lombar. Inspire e “achate” as mãos nas costas; expire e afaste a lombar das mãos. Repita 10 vezes, sempre contraindo o músculo que controla a urina.


Potência 
Sente-se em uma cadeira ou no vaso sanitário e apoie os cotovelos nos joelhos. Puxe os músculos da região pélvica para cima, como se estivesse interrompendo a saída de gás ou urina. Mantenha a contração por 10 segundos e relaxe. Repita durante 5 minutos, diariamente.



Força
Com o pênis ereto, “pendure” uma toalha e contraia o músculo, como se quisesse elevar o tecido. Faça 3 séries de 10 repetições, 3 vezes por semana. O músculo forte e resistente auxilia no fluxo sanguíneo e proporciona mais rigidez.



Flexibilidade

Para ganhar mais agilidade no músculo pélvico, suba em um degrau só com um de seus pés e deixe o outro suspenso. Ao inspirar, tente alcançar o chão com seu pé livre, sem flexionar o joelho da outra perna, apenas deslocando o quadril. Ao expirar, eleve o pé solto acima do nível do outro, também sem o uso dos joelhos. Repita 10 vezes.

http://gq.globo.com/

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

15 maneiras para ganhar massa muscular ou perder gordura


Todos sabemos o que fazer para ganhar massa muscular ou perder gordura, contudo o difícil está justamente no “fazer” e nos pequenos detalhes. Se fosse fácil, todos estariam tendo resultados, mas não é bem assim que as coisas funcionam. A seguir, veja 15 maneiras para amplificar seus resultados na academia de maneira direta e indireta, ditas de maneira simples e sem hipocrisia.

1) Elimine de uma vez o açúcar refinado da sua dieta. Essa porcaria não lhe fará bem em nenhuma ocasião. Com um pouco de inteligência, é possível substituí-lo por outras coisas infinitamente mais saudáveis e que ainda lhe trarão benefícios dentro da academia.
2) Controle o consumo de alimentos processados. Para quem não sabe, alimentos processados são todos os alimentos produzidos pelo homem, sem ser diretamente da natureza. Ex: salgadinhos, biscoitos e outras coisas industrializadas.
3) Se for torrar dinheiro com suplementos, escolha os básicos, que possuem comprovação de eficácia. Como Whey Protein, Creatina, Multivitamínicos, Vitamina C, Óleo de Peixe, etc…
4) Tome pelo menos 2 litros de água no dia, no máximo 4. Tomar água não é frase cliché pra ser saudável, a água tem um papel fundamental no corpo, principalmente se você treina com o objetivo de ganhar massa muscular.
5) Elimine o consumo de refrigerantes. Além de também serem industrializados, a maioria dos refrigerantes contém quantidades cavalares de açúcar e outras substâncias que irão atrasar seus resultados.
6) Durma sempre no mesmo horário para estabelecer um padrão de sono, consequentemente aumentando o descanso e recuperação muscular.
7) Largue do computador algumas horas antes de dormir. A tela gera estímulo demasiado em algumas glândulas do cérebro e pode sacanear o seu descanso.
8) Pare de pensar demais sobre qual é o melhor treino e dieta, enquanto se esquece do básico, que é o que realmente produzirá resultados.
9) Preste atenção no ambiente que você dorme, principalmente quando o assunto é higiene. Este é o ambiente que você passa um terço da sua vida e é o principal local onde é gerada a recuperação muscular.
10) Se mantenha no mesmo treino por mais de 1 mês, antes disso é impossível saber se o treino é efetivo ou não. Pular de galho em galho, só atrasará seus ganhos.
11) Tente manter um registro de progresso do seu treino, para tentar entender quais exercícios estão gerando mais resultados.
12) Tome sol por 20 minutos sem protetor solar, em horários seguros. Isto fará com que seu corpo gere vitamina D, uma das vitaminas mais importantes para auxiliar na hipertrofia muscular.
13) Evite acúmulo excessivo de gordura em off-season(bulking). Isto só debilitará sua capacidade de ganhar massa muscular. Se você já tem uma quantidade considerável de gordura, perca primeiro antes de se focar na hipertrofia.
14) Corte o contato com pessoas negativas. Isto não gerará nenhum benefício em sua vida ou em seus objetivos dentro da academia.
15) Controle o estresse. Não leve a vida tão a sério, níveis altos de estresse além de diminuir sua vida, ainda atrapalharão seus resultados no treino

Dicas para malhar a todo vapor



Ao mesmo tempo que muitas pessoas faltam o treino por pura preguiça, sentir-se cansado demais para puxar ferro pode ser um problema real e sem nenhuma ligação com a sua dedicação. Com isto em mente, se ultimamente você tem se “arrastado” para a academia ou tem dificuldade até mesmo para terminar um treino, veja as principais razões para isto estar acontecendo e como voltar a treinar a todo vapor.
Razão 1 – Sono insuficiente
Sim, você está cansado de saber que precisa dormir oito horas por dia para aprimorar a recuperação. Mas se você tem se sentido cansado demais para treinar, o sono é o primeiro aspecto que deve ser inspecionado (e frequentemente é o causador dos problemas).
Apenas uma noite mal dormida já pode gerar efeitos com fadiga, estresse, e diminuição na performance e foco durante o dia. Pois é, aquelas horas a mais que você fica no Facebook não valem os malefícios que a falta de sono pode trazer. Com isto dito, priorize o sono e procure dormir o mais cedo possível todos os dias.
E se você já dorme as oito horas por noite, tenha certeza de estar extraindo o máximo desse período: evite consumir cafeína e outros estimulantes depois das seis da tarde; evite realizar atividades de alta intensidade imediatamente antes do período do sono; não consuma líquidos em grandes quantidades antes de deitar; não durma com o relógio perto da cama; tenha certeza que o ambiente do sono é livre de luz e constantes interrupções.
Razão 2 – Desidratação
Isto é especialmente importante para quem treina pesado durante o verão. Pesquisas indicam que até mesmo um discreto nível de desidratação pode aumentar os sintomas de fadiga, ansiedade, afetar o humor e diminuir a performance cognitiva.
O instituto americano de medicina sugere que mulheres bebam pelo menos 2.7 litros e homens 3.7 litros de água por dia. Em suma, a velha indicação de beber 4 litros de água por dia ainda é válida.
Razão 3 – Interromper abruptamente o uso de estimulantes
Estimulantes são comuns na musculação através do uso de suplementos pré-treino. Contudo, poucas pessoas se atentam ao fato de que quando interrompemos o uso de qualquer estimulante que o corpo estava acostumado a receber diariamente, ocorre uma espécie de “ressaca”; desânimo, falta de motivação e fadiga são esperados nos primeiros dias depois de terminar um pote de pré-treino.
Isto também acontece quando o corpo cria resistência ao estimulante, portanto não adianta insistir no uso ou aumentar a dosagem com o intuito de fugir destes efeitos. Isto só fará com que a resistência aumente e os efeitos negativos sejam piores quando for necessário suspender o uso.
4 – Excesso de porcarias na dieta
A qualidade da dieta não tem relação apenas com a qualidade do seu físico. Estudos sugerem que pessoas que costumam “maltratar” o corpo comendo porcarias (alimentos processados ricos em açúcares e gorduras) com frequência tendem a ter mais fadiga e sofrer alterações no humor. Os cientistas acreditam que isto acontece porque o intestino tem uma espécie de ligação com o sistema nervoso central, consequentemente a saúde desta parte do sistema digestivo pode influenciar o humor e gerar sintomas de fadiga.
A frase “você é o que você come” não poderia ser mais verdadeira, e com um bônus: coma lixo e além de ter um físico lixo, você vai se sentir um lixo.
5 – Você está se destruindo na academia
Você não precisa se destruir na academia para ter resultados, você precisa progredir. De nada adianta ter que ir embora da academia com o auxílio dos paramédicos, porque o seu treino foi “no pain, no gain”, se você continua sempre o mesmo.
Com isto dito, verifique se o seu treino está gerando progresso em vez de cansaço, apenas. Caso for a última opção, é interessante verificar a duração do treino, a quantidade de exercícios, séries e uso de técnicas para aumento de intensidade. O exagero em qualquer um destes itens pode detonar sua capacidade de recuperação e gerar sintomas de tristeza, desânimo e falta de motivação para treinar.

Baixa testosterona



Baixa testosterona é um problema cada vez mais comum, e não pense que por ser jovem você está fora dessa, já que grande parte dos problemas não são causados pela idade ou por condições pré-existentes, mas sim por péssimos hábitos que afetam drasticamente os níveis deste hormônio. 

A seguir veja, os principais sintomas seguido dos hábitos mais comuns que afetam a testosterona.

Principais sintomas
Cansaço excessivo
Falta de energia para realizar tarefas cotidianas
Desânimo
Humor instável
Depressão
Baixo desejo sexual
Ereções insatisfatórias
Imunidade baixa
Ganho de gordura incomum
Perda de massa muscular e força
A testosterona tem um papel muito importante em nosso corpo que não se resume apenas em controlar quanta massa muscular podemos ter e manter, níveis adequados deste hormônio são essenciais para manter a saúde e qualidade de vida.

Por mais que você pense que “qualidade de vida” é assunto para revista feminina, saiba que o seu bem-estar em geral pode afetar todas as áreas da vida que direta e indiretamente vão atrapalhar o seu treino, portanto isto é algo que devemos nos preocupar.
Principais hábitos que geram queda de testosterona
Falta de descanso (dormir incorretamente)
Estresse
Produtos industrializados na dieta
Carência de gorduras boas na dieta
Treinos com muita frequência e/ou volume
Evitar completamente gorduras saturadas e colesterol
Com a lista acima não é possível apenas descobrir como evitar que a testosterona diminua, mas também, ao evitá-los, amplificar sua produção natural.

Procure um endocrinologista
Com os sintomas é possível se ter uma ideia do problema, contudo apenas o médico poderá dizer se a testosterona realmente está baixa e o quanto ela está abaixo do normal, também podendo descobrir outras causas para o problema

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

As melhores maneiras para acelerar o metabolismo e derreter mais gordura em menos tempo



Se você está tentando queimar gordura, sem sombra de dúvidas, a maneira mais eficiente para acelerar este processo é através da alteração do metabolismo. Quanto mais rápido e ativo ele estiver, mais fácil será o processo de perda de gordura. Com isto em mente, veja as melhores maneiras para acelerar o metabolismo e derreter mais gordura em menos tempo.
1 – Faça aeróbicos intervalados de alta intensidade (HIIT)
Estudos mostram que aeróbicos de curta duração e alta intensidade resultam em maior queima de gordura do que os aeróbicos comuns feitos com baixa intensidade e longa duração. Pesquisas também mostram que este tipo de aeróbico poupa mais massa muscular do que ficar uma hora na esteira no ritmo de uma tartaruga.
Para aumentar o metabolismo e queimar mais gordura, substitua o aeróbico normal pela modalidade HIIT, fazendo sessões de 20 a 30 minutos nos mesmos dias que fazia antes. Para quem ainda não conhece, o HIIT funciona assim:
Comece o aeróbico com 2 a 3 minutos de aquecimento usando baixa intensidade.
E então corra com toda a velocidade possível por 30-60 segundos (se você nunca fez HIIT antes, faça até 30, mas procure se esforçar para chegar aos 60).
Agora, diminua a intensidade para se recuperar pelo mesmo tempo que ficou em alta intensidade. Se você correu com tudo por 30 segundos, fique em baixa intensidade pelo mesmo tempo. No inicio você terá que se recuperar por mais tempo, mas busque descansar o tempo correto.
Repita esse processo de baixa e alta intensidade pelo tempo total de 20 a 30 minutos.
Para finalizar faça um “cool-down” de 2 a 3 minutos em baixa intensidade.
acelerar o metabolismo
Você pode aplicar o HIIT no tipo de aeróbico que você achar melhor. Você pode ir pra rua andar e correr, pedalar devagar e rápido, usar a esteira, a bicicleta ergométrica, o elíptico, fica a seu critério…
2 – Treine pesado
Entre os vários benefícios do treino pesado, ele também auxilia na queima de gordura.
Um estudo publicado na Grécia (6) descobriu que homens que treinavam pesado (usando 80 a 85% da sua carga máxima em exercícios) aumentavam a velocidade do metabolismo por até três dias seguidos, queimando centenas de calorias a mais do que homens que treinavam com pouco peso.
Com isto em mente, enterre o conceito de que para queimar gordura você precisa treinar usando pesinhos e várias repetições. Para acelerar o metabolismo, treine pesado, com poucas repetições e se você quer um bônus, dê ênfase em exercícios compostos como o agachamento, levantamento terra e supino, que são movimentos que mais queimam calorias após o treino.
3 – Evite descansar por dias consecutivos
Ficar sem fazer exercícios por 2 dias seguidos ou mais pode diminuir a velocidade do metabolismo.
Em vez de treinar 5 dias seguidos e descansar no fim de semana, experimente criar uma brecha durante a semana e treinar no sábado. A divisão é indiferente, o importante é evitar ficar mais de 1 dia parado.
4 – Separe o treino do aeróbico
Em vez de treinar pesado por uma hora e ainda fazer 30 minutos de aeróbico logo em seguida, separe-os. Treine de manhã antes do trabalho e faça aeróbicos a noite, ou vice-versa.
Esta divisão além de “bombar” o seu metabolismo duas vezes durante o dia, mantendo-o elevado constantemente, também preservará massa muscular.
5 – Coma alimentos apimentados
pimenta vermelha
Condimentos como a pimenta vermelha e caiena podem aumentar discretamente a velocidade do metabolismo, consequentemente auxiliando na queima de gordura. Sem contar que pimenta vai muito bem com frango, carne vermelha e até vegetais, o que a torna perfeita para deixar a dieta um pouco mais agradável.
6 – Não beba calorias
Calorias líquidas são um desastre quando você está tentando queimar gordura. Elas são muito fáceis de consumir até mesmo quando não temos apetite, não saciam a fome, frequentemente são cheias de açúcar e deixam sua insulina elevada (o que pode fazer você armazenar mais gordura)
Em vez de beber sucos, refrigerantes, chás açucarados, etc.. mantenha-se com a boa e velha água, chás adoçados com Stevia, café sem açúcar ou outras bebidas sem calorias.
Palavras finais
Se você está tentando queimar gordura e está tendo dificuldade, experimente incorporar todas as dicas acima em sua rotina. Contanto que sua dieta esteja correta, ao acelerar o metabolismo, o seu corpo não terá saída a não ser derreter mais gordura.

Planejar um treino com antecedência



Planejar um treino com antecedência ? Frescura. Pedir auxílio e opiniões de outras pessoas ? Coisa de frango. Estes são apenas alguns traços de personalidade de pessoas que não costumam seguir um plano de treino e se você se identifica com isto, provavelmente está prejudicando os seus resultados dentro da academia.
Basta entrar em qualquer academia do mundo e você verá caras, dia após dia, fazendo sempre os mesmos exercícios e somente o que eles gostam ou que inflam seus egos. “Preciso começar o treino com bíceps pra parecer que meus braços são maiores o treino inteiro”.
Amigo, você está gastando cerca de R$1000 por ano com a mensalidade da academia, então eu presumo que você quer ficar maior. Mas se você realmente quer alcançar o seu potencial e ter um corpo de verdade, você precisa começar a treinar de uma maneira inteligente. E não, dar mais atenção ao bíceps e treinar pernas uma vez por mês não é uma “maneira inteligente”.
E você quer saber ? Eu nem vou bater na tecla de que você precisa fazer agachamento, terra, compostos, bla, bla, bla… Só vou dizer uma coisa, um cara que faz rosca direta com 20kg de cada lado, mas usa uma carga semelhante no supino e no agachamento, é simplesmente ridículo.
Ter pernas gigantes ou costas bem trabalhadas podem não ser suas prioridades imediatas, mas ainda sim você precisa criar equilíbrio e harmonia se quer ter um físico decente. E o que deixa o seu físico decente, nem sempre é o que você gosta de fazer ou acha ser bom.
Você pode pensar que ter braços gigantes vai fazer você ficar legal, mas sem ombros e costas, braços grandes vão fazer você parecer estranho e assimétrico.
Na verdade, ombros e costas maiores é que vão fazer você ficar imponente. E se você só treina para ficar bem para as mulheres, de nada adianta ter 40cm de braços se ao tirar a roupa, a sua bunda é igual a de um idoso.
Além disso, se você sempre faz as mesmas coisas dentro da academia, em algum momento, você vai parar de progredir. Mesmo tendo boa genética.
A solução é planejar um treino que trabalhe o corpo inteiro, você gostando ou não. Mas quando dizemos “corpo inteiro”, não estamos dizendo treinar o corpo inteiro da mesma forma. Treinar alguns músculos exigem mais do corpo e da recuperação do que outros.
Aqui vai uma divisão de treino decente que permite que o corpo inteiro seja treinado e permitindo a recuperação necessária:
Dia 1 – Costas
Dia 2 – Peito e ombro
Dia 3 – Descanso
Dia 4 – Tríceps e bíceps
Dia 5 – Pernas
Dia 6 – Peito e costas
Dia 7 – Descanso
Esta divisão é ótima para qualquer pessoa que já vem treinando há algum tempo. Ela permite que o corpo inteiro seja treinado, tem as pausas necessárias para a recuperação, e ainda maximiza o desenvolvimento das áreas que fazem você ficar “imponente”. Claro, existem centenas abordagens que também funcionariam, mas este é um ótimo ponto de partida para quem estava treinando usando apenas os exercícios que gostava, desconsiderando as necessidades.
Related Posts with Thumbnails