"Nosso corpo é nosso templo, nossa vida deve ser nossa religião e cuidar dela nosso ato de fé".

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Refrigerantes diet podem ser tão prejudiciais quanto os normais



Muitas pessoas acreditam que refrigerantes sem açúcar/sem calorias são mais saudáveis e que não interferem na queima de gordura, tornando-os em uma opção chamativa para substituir os refrigerantes normais. Infelizmente, as coisas não são tão simples assim…

Na verdade, refrigerantes diet podem atrapalhar a queima de gordura
O conteúdo de um refrigerante diet vai muito além de apenas ser sem calorias ou sem açúcar. Para que o gosto do refrigerante diet fique o mais próximo possível do original, são usados diversos tipos de açúcares e adoçantes artificiais, que costumam prejudicar a nossa habilidade de controlar o apetite e consumo de calorias, por nosso cérebro usar o doce como parâmetro.

Quando consumimos bebidas com adoçantes, o nosso corpo costuma assumir automaticamente que estamos consumindo açúcar real e reproduz as mesmas ações que acontecem no corpo quando ingerimos açúcar de verdade. O corpo pode liberar insulina junto com outros processos metabólicos que preparam o corpo para receber uma grande quantidade açúcar. O problema é que o corpo nunca recebe o açúcar que estava esperando. Isto aumenta a sua vontade de consumi-lo ainda mais, desregulando o seu apetite.

Qualquer pessoa que já entrou em cutting ou tem a perda de gordura com principal objetivo, sabe que recaídas e apetite grande podem ser a diferença entre o sucesso e o fracasso.

Adoçantes e açúcares artificiais não são tão saudáveis como você imagina
Alguns desses adoçantes podem ser 200 vezes mais doces que o açúcar, contendo químicos que quando são metabolizados (ou simplesmente o corpo não consegue metabolizar), podem ser prejudiciais a nossa saúde. Pesquisas sugerem que adoçantes como o aspartame (um dos mais comuns), podem ser neurotóxicos, causam síndrome metabólica e ainda podem influenciar certos tipos de câncer.

Conclusão
Trocar refrigerantes normais pelo diet, infelizmente seria trocar 6 por meia dúzia. Ambos possuem malefícios suficientes para excluí-los completamente de nossas vidas.

Aeróbicos para definição




O verão está chegando e muitas pessoas com o objetivo de perder peso/definir costumam mudar totalmente o foco do treino para os aeróbicos, fazendo longas sessões diárias de esteira, corrida, bicicleta e outros. O problema é que os aeróbicos em excesso além de atrapalharem a hipertrofia muscular, ainda podem facilitar o overtraining devido ao estresse imposto ao corpo. E se você não estiver com a dieta de acordo com o seu objetivo (déficit calórico neste caso), os aeróbicos sequer mostrarão os seus pontos positivos.

Sim, aeróbicos possuem pontos positivos e podem ser úteis no auxilio a queima de gordura se forem feitos com moderação, mas nunca serão a base de uma rotina para perda de peso. Como sempre, o que vai definir o seu objetivo será a boa e velha dieta e é nela que devemos focar toda a nossa atenção, pois não vai importar o que você faça, se você não estiver consumindo menos calorias do que gasta, você não irá perder peso.

O treino pode permanecer o mesmo, senão mais pesado do que de costume. Não faça a besteira de aumentar as repetições em todos os exercícios com o intuito de definir, pois o máximo que conseguirá é perder ainda mais massa muscular do que exagerando nos aeróbicos. O treino pesado é uma ótima ferramenta para ajudar a preservar a massa muscular durante o cutting, que por si só já é uma fase delicada e possivelmente catabólica.

Dicas rápidas para amplificar o crescimento dos braços



 8 dicas rápidas, práticas e sem enrolação, sobre como maximizar o treino de braços e obter ganhos superiores.

1. Inclua a barra fixa (com pegada curta e com as palmas das mãos viradas para você) no treino de costas. Este exercício além de ser efetivo para as costas, também exige consideravelmente o bíceps, tendo o benefício de ser um exercício composto.

2. Tenha certeza de estar fazendo paralelas no treino de tríceps e/ou peitoral.

3. Faça tanto séries pesadas para estimular as fibras de contração rápida (usando 6 a 8 repetições), como séries mais leves para também estimular as fibras de contração lenta(usando 10 a 15 repetições).

4. Considere treinar os braços(bíceps e tríceps) sozinhos e após 48 horas de ter treinado algum grupo da parte superior. Desta maneira você treinará com os braços descansados, podendo maximizar a intensidade e força no treino.

5. Caso não goste ou não tenha tempo para treinar os braços separados, faça um período de especialização de algumas semanas onde você treina o tríceps e o bíceps primeiro no treino(antes de fazer peito e costas).

6. Use o mesmo volume de treino tanto para tríceps e bíceps.

7. O tríceps em específico costuma responder melhor com maiores cargas. Tenha certeza de estar dando ênfase às paralelas e supino fechado.


8. Nunca se esqueça da progressão de cargas. Sempre procure aumentar as cargas usadas, treino após treino. Se não houver progresso, dificilmente haverá progresso no tamanho dos braços, independente da intensidade do dito treino.

domingo, 31 de agosto de 2014

Dicas Para Aumentar as Panturrilhas



Uma pessoa pode ter dificuldade para desenvolver várias partes do corpo, mas eventualmente com a mistura de determinação e treino correto, você acaba conseguindo ganhar massa muscular, porém as panturrilhas parecem ser um animal irracional. Não entendem e não respondem ao treinamento, por mais que você as force! 


Aqui vão algumas dicas para você aprimorar o seu treino para panturrilhas:

1 – Preste Atenção na Execução do Exercício

Não importa o treino que você fizer, se a execução for ruim vai ser perda de tempo. Use a amplitude máxima em todos os exercícios e nada de fazer as séries como se fosse o the flash, use cadência de 2-2-2 (2 Segundos para levantar o peso, 2 segundos parado no topo e 2 segundos para descer).

2 – Intensidade

Nada de ficar descansando mais do que 1 minuto entre as séries, deixa pra falar sobre futebol em outro horário e a sua masculinidade não vai diminuir se você não comentar sobre o corpo da gatinha que está no aparelho de glúteos. Ta na hora de treinar estas pernas de sabiá e não a língua!

3 – Sobrecarga Progressiva

Sobrecarga progressiva é o propósito da hipertrofia. Tente aumentar a carga cada vez mais em cada treino de panturrilhas que fizer, não importa se for 500g, tente sempre aumentar mais o peso. Para os que treinam mais com o ego do que com o cérebro: use pesos que você consiga realizar o exercício da forma correta, do contrário não vai adiantar nada. Uma coisa é você aumentar a carga e sofrer para realizar o exercício(o que é bom), outra é aumentar a carga absurdamente e fazer o exercício errado e sem amplitude nenhuma, totalmente vergonhoso!

4 – Prioridade

Muita gente treina o músculo preferido até mais que duas vezes por semana, o problema é que quando se trata de treinar um músculo chato, que não quer crescer e que não trará nenhum benefício imediato para ir para a baladinha no fim de semana, as pessoas costumam não dar a mesma prioridade. Geralmente é o caso da panturrilha, treine este músculo como se fosse o bíceps, peitoral ou o seu preferido! Ganhar panturrilha já é difícil para a maioria de nós mortais, não dar prioridade para este músculo é um pecado mortal!


Por que sinto mais dor nos músculos e articulações quando o tempo esfria?



Alterações hormonais, queda de pressão barométrica, aumento das contrações musculares e ação dos receptores estão entre as causas.


Se você sente mais dor quando está frio ou chovendo, saiba que não é apenas sua imaginação. Embora os estudos mostrem resultados variáveis, a maioria conclui que mudanças na pressão barométrica e diminuição da temperatura podem sim causar mais dor em algumas pessoas (especialmente portadores de artrite).

Posso dizer informalmente que muitos dos meus pacientes "sentem" uma mudança no clima quando algo dói principalmente se o local já foi operado. Quando o frio e a chuva estão a caminho, parece até previsão do tempo! A mudança no clima para o frio indica uma redução na pressão barométrica ou "baixa pressão" se movendo para determinada região. Quando o tempo esquenta, ou um "sistema de alta pressão" se move, o aumento da pressão barométrica pode trazer alívio. Curiosamente, vejo isso no mergulho também. Muitas pessoas que se queixam de dor nas articulações sentem conforto quando estão em profundidade durante o mergulho. Uma explicação razoável é o aumento da pressão ambiente.

Lembre-se de quando a vovó dizia: "A chuva está vindo, e eu posso sentir as minhas articulações doloridas" ela realmente sabia disso por causa do que acontece com nosso corpo quando ocorrem as mudanças de pressão barométrica.

Isso significa que a pressão contra o seu corpo cai também, suas articulações e áreas lesionadas podem começar a inchar ou doer. Este inchaço causas aumento da inflamação e exigimos que os hormônios aumentem sua atividade para lidar com essa situação.

Algumas teorias para o aumento da dor:
1) Alteração hormonal - Temos no topo de cada rim uma pequena glândula que produz adrenalina e cortisona. Estes dois hormônios nos ajudam com a energia, o humor, a função imune, o controle da dor e a famosa "fuga ou luta" como resposta a algo que nos atinge. A cortisona (esteroide) é fundamental no controle da dor, função imune e energia. Quando a pressão cai, a tendência é a produção deste hormônio diminuir.

Você já percebeu também como a sua dor pode piorar durante a noite? Isso porque os nossos corpos diminuem a produção de ambos, adrenalina e cortisona, à noite, para que possamos ir dormir. É parte do nosso ritmo circadiano.

2) Mudança na carga elétrica - Algo semelhante acontece quando uma tempestade está vindo. Você conhece alguém que diz poder "cheirar" a neve ou chuva antes que ela venha? O cheiro é uma mudança na carga elétrica no ar. Tem sido descrito como um cheiro "metálico" que algumas pessoas percebem e alteram a eletrostática corpórea, gerando contração neural e consequentemente dor.

3) Teoria dos receptores - Existem muitos receptores no nosso corpo com terminações nervosas, que podem detectar fatores como textura, temperatura e pressão. No entanto, essas terminações nervosas também podem detectar mudanças na pressão barométrica no ar e responder, em algumas pessoas, com uma reação de dor. O caso é pior em pessoas que estão cronicamente estressadas, física ou emocionalmente, e nos idosos .

4) Contração – Uma última hipótese é que a dor no frio seja causada por tensão e contração muscular ao redor dos nervos e articulações, devido a vasoconstricção que a baixa temperatura causa.

Fato é que a maioria de nós não precisa de mapas e previsões metereológicas para saber a dor que sente, mas talvez possamos tomar medidas para diminuir o sofrimento. Podemos comer corretamente, fazer exercícios e alongamentos, evitar os efeitos negativos das drogas ou álcool, aquecer o corpo e protege-lo durante a exposição na rua. Se a dor persistir, procure um especialista.

FONTE: Portal Eu Alteta.

Pernas mais fortes com o treino funcional de pliometria



Saiba como conquistar pernas mais fortes com o treino funcional de pliometria. Nesse artigo abordamos o que é o treino pliométrico, como funciona e para quem é indicado.


Que o treinamento de força desenvolve praticamente todas as suas técnicas e métodos baseados no treinamento desportivo em geral, não é novidade. Afinal é com os atletas dos mais variados desportos que as técnicas são utilizadas, testadas e comprovadas. Muito se traz do treinamento desportivo em geral para o treinamento de pessoas “comuns”. Com a pliometria não foi diferente.

Diversos esportes tem em suas solicitações motoras a utilização de saltos. Como é o caso do atletismo, voleibol, basquete e muitos outros. Desta forma, a pliometria era inicialmente utilizada por treinadores destes esportes, com o intuito de aumentar a potência do salto. Porém, com a prática constante diversas outras vantagens foram sendo encontradas também para questões estéticas e funcionais.

O que é pliometria
Pliometria é o nome dado as técnicas de exercícios que se utilizam do chamado ciclo de alongamento-estiramento. Este ciclo tem como objetivo principal a melhora da força da potência muscular. Com a devida utilização, este treino melhora consideravelmente a força, o tônus muscular, causa hipertrofia e melhora a questão estética das pernas. Existem uma infinidade de exercícios que podem ser feitos de maneira pliométrica, mas basicamente todos eles seguem a mesma linha, mudando apenas questões como carga e intensidade.

Como funciona o treino

Um treino comum de pliometria é feito da seguinte forma: Após um aquecimento prévio (não alongamento, para deixar claro), você posiciona três bancos de diferentes alturas a uma distância de cerca de um metro um do outro. Você inicia atrás do primeiro banco. Pula, dobrando os joelhos e com os pés juntos em cima do banco, em seguida pula para o espaço entre o primeiro e o segundo banco. Ao tocar no chão, amortece o impacto com os joelhos, dobrando-os e na sequência, sem parar, pula para o segundo banco e repete a sequência até o último salto.

Este é um exemplo básico, que pode ser adaptado de acordo com a condição física do aluno e os seus objetivos. Além disso, pode-se fazer o treino de pliometria com carga e saltos estacionários, usar alturas maiores e muitas outras variações.

Quem pode fazer treinos pliométricos

Este é um ponto delicado, já que nem todos podem fazer este tipo de treino de forma segura. É muito importante entender que o treinamento pliométrico foi adaptado para pessoas que não buscam melhora em seu rendimento esportivo. Ele foi adaptado, mas não é muito indicado para certos grupos. Antes de mais nada, o treinamento de pliometria não deve ser feito por pessoas destreinadas, por diversos motivos, como estes:

Falta de estabilidade articular: pessoas destreinadas não tem uma estabilidade articular que permita um treinamento seguro. Assim, suas articulações sofrem demais com um treino de impacto e intenso como este.

Falta de força e resistência muscular: uma pessoa destreinada não conseguiria manter um treino pliométrico de maneira eficaz, pois não aguentaria uma sessão com volume adequado.

Falta de coordenação motora: este treino exige uma coordenação motora mínima para sua execução. Desta forma, pessoas sem um treinamento prévio não conseguiriam movimentos harmoniosos, que focassem apenas nos ganhos musculares.:

Além disso, um treinamento pliométrico deve ser sempre evitado por pessoas acima do peso, já que a sobrecarga articular, principalmente nos joelhos, seria muito grande. Desta forma, caso você queira optar pelo treinamento pliométrico, precisa antes de mais nada de uma boa base motora e muscular para isso. Depois de periodizar seu treino (Como periodizar seu treino de musculação) com um período básico, onde você trabalha com resistência muscular e força máxima, dai sim você estará preparado(a) para o treino pliométrico.

Caso você se enquadre no grupo que pode executar este treinamento, pode tranquilamente substituir em certas épocas, seu treino de pernas convencional pelo treino  pliométrico, desde que você leve em consideração todas as ressalvas aqui apresentadas.

Erros na malhação na adolescência


sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Termogênico aumenta a disposição, mas deve ser utilizado com cuidado



(Suplementos nutricionais à base de cafeína são indicados para atletas que esperam obter melhora do treinamento, desde que não se exagere na dose).


O cansaço é hoje uma queixa apresentada com incidência muito elevada na população. Uma pesquisa encomendada por um grande laboratório farmacêutico, que teve a colaboração da Doutora Gerseli Angeli, chegou à constatação de que esta reclamação chega inclusive a ter repercussão na produtividade do trabalho.

Podemos entender que o cansaço é até um mecanismo de defesa. Quando a exigência física supera a capacidade de tolerância do corpo, a sensação de cansaço de certa forma evita que este limite de tolerância seja ultrapassado.

O problema é passar a existir um círculo vicioso, onde começa a prevalecer uma falta de disposição, uma sensação de "preguiça", que leva cada vez mais à regressão do nível de atividade física habitual, com consequente tendência à adoção de um padrão de vida cada vez mais sedentário.

Esta falta de atividade física vai potencializar a incidência de uma espécie de cansaço crônico com prejuízos invitáveis para a saúde e qualidade de vida. Esta falta de disposição leva algumas pessoas a buscar certos recursos para vencer este obstáculo, e o uso de estimulantes como os chamados termogênicos se torna cada vez mais prevalente.

Na realidade, o que é um termogênico? A ANVISA regulamenta no mercado brasileiro a comercialização de suplementos nutricionais à base de cafeína. Esses suplementos são consumidos por praticantes de atividades físicas que esperam obter o benefício de melhora da qualidade do treino, como resultado de uma maior disposição física.

Dos componentes dos termogênicos, o que de alguma maneira justifica o seu nome é a cafeína. Vale lembrar a necessidade de nunca exagerar na dose, pois a cafeína em excesso pode prejudicar a saúde. A ANVISA recomenda não ultrapassar dosagens de 300mg de cafeína por dose. O nome termogênico tem relação direta com um aumento do metabolismo induzido pela cafeína, tornando seu uso também direcionado a objetivos associados à redução de peso corporal.

É sempre importante alertar para o cuidado com certos produtos importados que também são denominados termogênicos, porém contém efedrina, que é terminantemente proibida pela ANVISA e tem efeitos muito prejudiciais à saúde, podendo causar prejuízo da qualidade do sono, arritmia cardíaca e dependência.

FONTE: Portal Eu Atleta.
Related Posts with Thumbnails